Cestaria em Cana

Este slideshow necessita de JavaScript.

Domínio: Competências no âmbito de processos e técnicas tradicionais

Categoria: Actividades transformadoras

 A cestaria em cana (Arundo donax L.) é no Algarve uma actividade mais característica das zonas ribeirinhas do Vale do Guadiana, onde crescem abundantes canaviais. Nesta técnica, o entrelaçar da cana permite fazer os mais variados cestos, instrumentos de trabalho essenciais nas tarefas agrícolas e para o armazenamento e transporte de produtos.

Ainda hoje existe na zona uma expressiva quantidade de cesteiros em actividade, todavia menor do que em meados do séc. XX, altura em que “toda a gente fazia cestos”.

A cestaria é em geral um trabalho masculino. O mestre revela o perfeito conhecimento dos materiais, do momento exacto em que devem ser colhidos e dos tempos para secagem. A cana dá todo o ano, mas apanha-se mais no Inverno, normalmente em Janeiro. Diz-se “Cana cortada em Janeiro dura o ano inteiro.” Depois de corta com uma faca ou podão, é limpa e logo rachada em ripas. Sentado num pequeno banco o cesteiro começa a dar forma ao cesto entrelaçando as ripas da cana. Ao longo do processo, faz uso de ferramentas muito rudimentares: lona ou pedaço de pele para cobrir a perna quando se ripa a cana, faca, canivete, tesouras, …

Os usos ligavam-se essencialmente aos trabalhos do campo, à pesca e à casa.

Mais Informações:

CIIPC – Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela