Figos Cheios e Estrelas de Figo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Domínio: Práticas sociais, rituais e eventos festivos
Categoria: Cozinha e alimentação

Por altura do dia de “Todos os Santos”, no início de Novembro, que anuncia um ciclo de festividades ligado ao Culto dos Mortos, era tradição por todo o Algarve confeccionarem-se os figos-cheios, bombons de figo e estrelas de figo, por vezes chamados de “Santos”.
O figo e a amêndoa, terminada a época da apanha, eram os ingredientes principais destas iguarias que eram oferecidas a familiares e amigos, degustadas no dia de todos os Santos e Dia dos Finados com um cálice de aguardente, ou oferecidas à criançada que no dia 1 de Novembro batia de porta em porta com um saco de pano ou uma cestinha a pedir “pelos Santos” ou pelas alminhas.
Para as estrelas de figo, corta-se o figo com uma faca ou tesoura fazendo uma cruz e abrindo-os em estrela a partir do corte. Colocam-se as amêndoas inteiras à volta do figo e tapa-se com outro figo cortado da mesma forma. Levam-se as estrelas ao forno a torrar a baixa temperatura.
Para os figos cheios, cortam-se as amêndoas aos pedacinhos e colocam-se numa tigela juntamente com os restantes ingredientes – açúcar amarelo, canela, erva-doce, um cálice de aguardente de figo e raspa de limão – mistura-se tudo até obter uma pasta. Abre-se a parte de cima ou do lado dos figos e enche-se o interior com o preparado. No final, levam-se ao forno a baixa temperatura até ficarem torrados.

Mais Informações:

CIIPC – Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Anúncios